Sobre a

CEMDaher

Nossas atividades são desenvolvidas com recursos próprios e contribuições voluntárias; as realizações se fazem com a colaboração de cidadãos e empresas locais.

Sobre

CEMDaher

Nossas atividades são desenvolvidas com recursos próprios e contribuições voluntárias; as realizações se fazem com a colaboração de cidadãos e empresas locais.

Empreendedorismo Social

A CEMDaher tem como referências duas instituições pioneiras em Ipameri:

  • Patronato criado pela Sociedade São Vicente de Paulo, inspirado e orientado por Francisco Vaz Lopes, hoje desativado
  • a Cerâmica Boa Nova, criada por Margarida Fernandes Horbylon e administrada pela Associação Adelino de Carvalho, em pleno funcionamento.

Ambas voltaram-se para os jovens, integrando escolaridade e formação profissional, e buscando a auto-suficiência financeira com base em suas próprias atividades.

Diferentemente desses modelos, entretanto, a CEMDaher não age diretamente; oferece apoio e parceria a entidades e profissionais atuantes na educação, na cultura e na formação dos cidadãos.

Origens, objetivos e resultados

O estatuto da CEMDaher foi registrado em junho de 2016. Sua atividade, entretanto, antecipou-se essa data em cerca de cinco anos; seus componentes se reuniram em torno de interesses comuns não necessariamente ligados às respectivas atuações profissionais.

Tais interesses - que incluem literatura, ciências, fotografia, história etc. – encontraram repercussão especialmente entre jovens educadores, escritores, ilustradores e fotógrafos locais. Das experiências iniciais desse grupo surgiram as diretrizes que a CEMDaher veio a adotar:

  • o cerrado como tema de fundo em suas atividades
  • a valorização dos talentos locais
  • a ação paradidática junto à rede escolar local
  • a cooperação com entidades afins
  • a permuta de experiências com profissionais de outras regiões

As promoções e produções da CEMDaher se baseiam no esforço, habilidades e capacidades de seus integrantes e colaboradores. São equilibradas financeiramente; além dos mantenedores. os recursos para eventos e produções provêm de apoiadores voluntários, de empresas locais e dos parceiros em cada caso. Não recebe doações de órgãos públicos.

A experiência vem comprovando a viabilidade dessa fórmula e a adesão de novos colaboradores atesta a repercussão do trabalho desenvolvido. O Festival Literário no Cerrado (FLIC) é o melhor exemplo. As avaliações de autores convidados atestam a satisfação quanto à participação e o interesse do público; este, por sua vez, mostra-se envolvido pelo contato direto com os escritores.

Dentro do objetivo de estímulo à cidadania, a CEMDaher se preocupa em propor inciativas, sugerir atitudes, preservar a memória e criar novas perspectivas de análise a partir do vasto material colhido pelos historiadores locais. O intento é a valorização de pesquisas e registros já existentes, evidenciando o conteúdo subjacente e a riqueza de interpretações que eles permitem. O próprio conteúdo deste site em sua seção "Ipameri e o Século 20" é um exemplo dessas possibilidades.

Leia o estatuto

Instalações do "quéuquê?", espaço de trabalho colaborativo.

Parcerias e quéuquê?

Toda atividade da CEMDaher se baseia em parcerias: cada parte assume suas funções com vistas a um objetivo comum e não há trocas financeiras.

Seus parceiros são jovens profissionais interessados em seu próprio treinamento, aperfeiçoamento e desenvolvimento, dispostos a experimentar e cooperar.

Para tanto, dispõem de uma infraestrutura adequada e um ambiente propício na única unidade física da CEMDAher: um local apropriadamente chamado "quéuquê?

A CEMDaher participa financeiramente de projetos específicos, tais como publicações, palestras, exposições, encontros temáticos etc.

Parceiros constantes

IF Goiano
Prefeitura de Ipameri
LivroseBooks
23ª Cia de Eng. e Combate
Senac Ipameri